Uma onda cor de rosa toma conta do mês de outubro. São os pequenos laços que, em forma de broches, estampas, impressos ou em campanhas virtuais, simbolizam a luta por uma grande causa: o combate ao câncer de mama.

A doença é a segunda maior causa de morte de mulheres no mundo, mas tem chances de cura de mais de 90% ao ser diagnosticada precocemente, além de permitir que seja oferecido um tratamento mais eficaz e menos agressivo.

O movimento de prevenção ao câncer de mama ganhou visibilidade em 1990, nos Estados Unidos, na primeira Corrida pela Cura, organizada pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, maior ONG do mundo voltada para pessoas com a doença. A organização distribuiu os lacinhos cor de rosa para os participantes se enfeitarem. A partir daí, o broche foi distribuído em locais públicos, eventos e até desfiles de moda, tornando-se o símbolo universal da luta contra o câncer de mama.

Tudo começa pelo toque

Cuidar da saúde é a forma mais plena de amor próprio. Nosso corpo comunica quem somos, nosso estado de espírito e, principalmente, nos permite existir. Devemos, antes de tudo, cuidar dele para que possamos viver bem e desfrutar de todas as maravilhas deste mundão.

Os trinta dias de outubro marcam uma mobilização mundial para dar visibilidade à importância do autoexame no combate ao câncer de mama. Estar atenta a qualquer alteração nas mamas é a arma número um na luta contra a doença, que acomete, anualmente, pelo menos 58 mil mulheres no Brasil.

Em 2016, uma pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostrou que 66% dos casos da doença foram descobertos pela própria paciente através do autoexame das mamas, comprovando a importância deste diagnóstico inicial, que pode ser obtido através do toque. Caso se perceba alguma alteração, um médico ginecologista deverá ser consultado para que outros exames, mais precisos, sejam realizados.

Nunca deixe para depois o cuidado com o seu corpo. No caso de doenças como o câncer de mama o diagnóstico prematuro é determinante para a cura.

Unidas contra o câncer

Mulheres de 50 a 60 são mais propensas a desenvolver a doença, que tem se observado crescente entre as mais jovens também.  Por isso deve-se manter toda a população feminina conscientizada, e o outubro rosa é uma oportunidade perfeita para isso!

Muitas celebridades também estão engajadas nesta luta, seja por terem sido elas mesmas diagnosticadas ou por perderem pessoas queridas pela doença.

É lindo ver esta corrente de mulheres unidas contra o câncer. Nomes como Ana Furtado e Patrícia Pillar tornaram sua luta pública e usam toda sua visibilidade em prol da causa.

São mulheres jovens que nos inspiram e conscientizam, deixando evidente a importância do engajamento de figuras públicas. Este tipo de depoimento traz novo fôlego e representatividade para quem está vivendo esta batalha, além de desfazer preconceitos.

Força na peruca!

Uma maneira de colaborar com as vítimas de câncer de todos os tipos, que estão em tratamento, é através da doação de cabelos. As mulheres têm uma relação muito especial com seus cabelos, de afetividade, e quando os perdem, durante a quimioterapia, ficam deprimidas e se sentem envergonhadas.

Com baixa autoestima, a imunidade fica afetada. O bem-estar próprio, a força de vontade e a alegria também são remédios. Proporcionar isso a alguém é extremamente gratificante!

Em Belo Horizonte, casa da Eamei, o Hospital Mário Penna recebe as doações, confecciona e distribui as perucas. Não existe qualquer tipo de restrição: até mesmo crianças podem doar. Todos os tipos de cabelo são aceitos: lisos, crespos e com química. O tamanho mínimo é de 10 cm, utilizados para fazer apliques e sobrancelhas. O comprimento mínimo para a confecção de perucas é de 20 cm. O cabelo doado deve estar lavados, secos e presos por um elástico.

Fashion é se amar

A moda é uma ótima ferramenta para exercitar o prazer de ser quem somos, de se sentir bem e usar a criatividade, e esse carinho deve ser praticado também com nosso interior.

Devemos nos cuidar como uma totalidade do ser que somos, e neste sentido é a saúde quem possibilita o exercício de todos os outros aspectos da vida. O amor próprio e pelo próximo nunca sai de moda. <3

Por isso, use esses dias de outubro para fazer seu autoexame de mama e não se esquecer de agendar a mamografia, caso seja de recomendação médica. O mais importante de tudo é viver – e é pela vida que campanhas como essa se fortalecem.